No reino animal, o phylum dos moluscos é o segundo em dimensões, após o dos artrópodes, com cerca de 100.000 espécies entre variedades fósseis (40.000) e viventes (60.000). Os caramujos fazem parte do grupo de gastrópodes pulmonados, ou seja, os moluscos terrestres, que não têm guelras, mas uma estrutura pulmonar que lhes permitiu colonizar os ambientes subaéreos.

Assim como muitas outras espécies de animais e plantas, os caramujos também foram atingidos pelas consequências das ações humanas. As causas da ameaça são muitas: o uso de pesticidas prejudiciais, a urbanização desenfreada, os aterramentos, as extrações descontroladas de água ou a introdução de novas espécies são todos fatores que juntos causaram a destruição gradual dos habitats.

Em alguns casos, as catástrofes naturais, as alterações climáticas e as extrações com objetivo de colecionismo agravaram ainda mais o quadro geral.

Friend of the Earth com a colaboração do Museu de História Natural da Universidade de Florença “La Specola” ativou um projeto de investigação de três anos para o estudo, a proteção e a conservação de duas espécies de moluscos endémicas da Toscana ameaçadas gravemente de extinção: a Melanopsis etrusca e a Xerosecta giustii.

A espécie

banner_small_chiocciole_5

Melanopsis etrusca

La Melanopsis etrusca (Brot, 1862) é um gastrópode de água doce de dimensões médias-pequenas (aproximadamente 12 mm de comprimento) cuja distribuição restringe-se a fontes de águas termo-minerais da Maremma Toscana; ainda são desconhecidos alguns detalhes sobre o ciclo de vida como, por exemplo, o tipo de reprodução. Devido à peculiaridade de seu habitat e à restrita faixa de distribuição, esta espécie é protegida em âmbito regional e é classificada como “Endangered” da União Mundial para a Conservação da Natureza (IUCN), embora seja também protegida por um regulamento específico promulgado pela região Toscana e que seja indicada como espécie-alvo nos planos de ação regionais.

banner_small_conservazione_chiocciole_3

Xerosecta giustii

La Xerosecta giustii (Manganelli & Favilli, 1996) é um pulmonado terrestre hermafrodita de tamanho médio, ligado aos ambientes de charneca e distribuído em uma faixa estreita das Colinas Metallifere da região de Grosseto; apresenta uma concha côncava com um invólucro com espiral dextrorsa, típico da maioria dos gastrópodes. A parte ventral possui um grande umbigo, um tipo de cratera criada pelo enrolamento da espiral situada na parte ventral da concha. Sua distribuição limita-se a duas áreas muito restritas da Toscana. Dada a sua raridade e o habitat muito limitado em que vive, a espécie está incluída nas listas IUCN como “Critically Endangered”.

Assista ao vídeo

Projeto Salve os caramujos da Itália

O projeto

O projeto atua em várias frentes, por um lado, a melhoria dos sítios naturais e, por outro, a criação de espécies em locais reservados , para a liberação dos espécimes produzidos na natureza. As primeiras etapas envolvem o estudo genético das populações naturais e o desenvolvimento das técnicas de criação de ambas as espécies.

Foram estabelecidas duas criações separadas: uma para M. etrusca no Aquarium Mondo Marino de Massa Marittima (GR), e uma para X. giustiina empresa de helicicultura “La lumaca maremmana” de Campagnatico (GR).  Ambos os locais foram concebidos para recriar os habitats naturais da espécie, ideais para a sua reprodução. O projeto também inclui atividades de sensibilização e educação para conscientizar o público sobre a importância da proteção da biodiversidade.

Vamos salvar os caramujos da Itália é um projeto inovador não só do ponto de vista científico, mas também porque vê envolvido ao mesmo tempo o mundo acadêmico, as administrações públicas – Município de Campiglia Marittima, Município de Massa Marittima e Município de Grosseto – e sujeitos privados. . Além do Museu, Friend of the Earth contou com o apoio científico de peritos internacionais da Universidade de Rennes (França) e do Canadá.

A Toscana não é a única região da Itália a acolher espécies de caramujos ameaçados de extinção. De acordo com os dados contidos nas listas vermelhas da União Mundial para a conservação da natureza (IUCN), sabe-se que existem algumas dezenas de espécies de gastrópodes, mais conhecidas como caramujos, ameaçadas (Endangered) e gravemente ameaçadas de extinção (Critically Endangered), espalhadas por todo o território italiano.

Ajude-nos a preservar o ambiente!
O seu apoio é importante.

Faça uma doação e contribua você também para preservar a nossa biodiversidade.